Fatores fundamentais para o sucesso de uma gestão empresarial moderna


Para promover a sustentabilidade de uma companhia, é papel do gestor estar atento às práticas que envolvem toda a cultura organizacional, a fim de implementar a inovação de forma assertiva.

Não há dúvidas, a inovação se tornou uma palavra de ordem para o universo corporativo, e quem não é protagonista nessa mudança fica para trás. A explicação por trás dessa urgência repousa na chegada de tecnologias disruptivas e de novas maneiras de conduzir o negócio, o que faz com que transformações se tornem cada vez mais comuns. Um dos reflexos disso é o aumento exponencial de interesse por parte das empresas em novas e facilitadoras soluções digitais. Em uma pesquisa recente publicada pela FGV (Fundação Getúlio Vargas), constatou-se que as empresas brasileiras de médio e grande porte direcionam aproximadamente 7,7% de seus orçamentos para avanços tecnológicos.

São inegáveis os benefícios aplicados pelo surgimento de ferramentas inovadoras, mas essa não é a única vertente de crescimento. Ao longo de minha carreira pude perceber a importância de o líder estar à frente de práticas estratégicas que ofereçam desenvolvimento e sustentabilidade para a companhia. A partir disso, a ideia é aumentar a eficiência de processos por intermédio da introdução de práticas inovadoras. O leque de possibilidades é vasto, e atuar com dedicação em diversas frentes é uma das maiores premissas para um futuro enriquecedor, em todos os sentidos.

Com isso em mente, podemos pensar em ações que influenciem desde a dinâmica criativa da empresa, fomentando a elaboração de ideias disruptivas e de novos procedimentos, até a implantação e diversificação de produtos e serviços, visando alcançar maior eficiência e escalabilidade para o negócio.

Para tanto, nesse processo, alguns fatores, como reposicionamento estratégico e a colaboração entre empresas, são indispensáveis. Eis o motivo:

Olhe de forma cirúrgica à inovação

Quando pensamos em inovação, automaticamente refletimos a ideia de fazer algo diferente do que já é feito, quando os resultados atuais já não estão favoráveis, ou mesmo quando percebemos a chance de torná-los melhores. O conceito de novidade é valorizado em praticamente todos os setores que compõem uma sociedade, e a ideia de desvendar temáticas novas apela diretamente aos anseios humanos de desvendar o desconhecido. Por mais subjetivo que possa parecer, reconheço a importância de estabelecer o real valor de sair do lugar comum e tomar medidas inovadoras. É o nosso ponto de partida para a prática desses vislumbres ao ambiente empresarial.

Aplicando o conceito ao universo corporativo, é importante perceber que a inovação é o fator que sustenta qualquer empresa atualmente, visto que o mercado se torna cada vez mais competitivo e desafiador; e os nossos clientes, mais exigentes.

Adotar uma nova mentalidade como parte da cultura e do dia a dia de uma companhia é essencial, a fim de auxiliar não apenas em processos, mas em todo o cotidiano organizacional. Dessa forma, é preciso ir além da implementação de ferramentas tecnológicas, uma vez que uma empresa realmente inovadora tem, antes de tudo, um pensamento coletivo transformador. Não existe inovação sem a socialização de seus futuros benefícios. Se pararmos para pensar, a evolução humana deu-se justamente pelo compartilhamento dos frutos colhidos através de mudanças e novas ideias. Isso também se aplica às empresas.

Deste modo, para promover esse mindset, é preciso que os gestores tracem práticas estratégicas, como por exemplo:

· Desenvolver uma comunicação que incentive todo o time a expor sua opinião. É primordial deixar explícita a relevância que cada um dos profissionais exerce dentro da organização;

· Assumir uma postura de liderança, à frente de qualquer mudança, atuando de forma engajada e dinâmica. Em termos referenciais, o líder é o reflexo do que se passa no interior de uma empresa, portanto, deve mostrar-se disposto e preparado para lidar com as eventualidades, que certamente surgirão;

· Promover a cultura de colaboração interna e externa, unindo forças para o crescimento conjunto da empresa. Por mais clichê que possa parecer, a união, de fato, faz a força. Não há espaço para individualismo quando o assunto é gestão de empresas.

O papel da cultura colaborativa para o sucesso de um negócio

Ainda hoje é muito comum ver enraizada dentro das empresas uma cultura de competição externa. Para potencializar essa estratégia, os gestores promovem, ainda, uma disputa interna, sob promessas de recompensas e promoções de cargo. Tamanho incentivo à criação de conflitos e embates alheios pode fomentar um ambiente destrutivo. É fundamental ter a sensibilidade de não implodir a relação entre os profissionais.


A cultura colaborativa, por sua vez, tem o objetivo de estimular uma troca constante de ideias em busca das melhores soluções, bem como o compartilhamento de experiências e a tomada de decisões por meio de um pensamento em conjunto. A estratégia tem ganhado força dentro do cotidiano interno dos negócios, isso porque, quando bem aplicada, pode proporcionar muitos ganhos, como, por exemplo:

· Comunicação ampla e transparente;

· Valorização do profissional;

· Equipes sincronizadas e atuando de forma conjunta;

· Modernização de procedimentos internos obsoletos;

· Maior produtividade e eficiência nos processos.

Por outro lado, quando pensamos na colaboração entre empresas, os ganhos são ainda mais expressivos. O benchmarking (palavra derivada do inglês que significa “comparação”), por exemplo, é uma estratégia que visa analisar as melhores práticas do mercado, visando obter maior eficiência organizacional.

O termo tem sido muito utilizado na administração de empresas, de modo que elas possam trocar informações entre si a respeito de produtos, serviços, processos e práticas empresariais. Analisando os pontos positivos de cada organização, é possível estabelecer um parâmetro preciso sobre o que de fato está funcionando no segmento. Entender o meio em que se está inserido é o primeiro passo para atingir as expectativas geradas.


Vale destacar a essencialidade da colaboração e da troca, de modo que dividir informações pode trazer ganhos para todos, inclusive para nossos clientes, uma vez que conseguiremos entender suas necessidades de forma mais simples. Com isso, é possível garantir maior assertividade para o mercado como um todo.

Para concluir, acredito que qualquer processo de mudança acarreta muitos desafios. No entanto, é nossa função como gestores aprimorar nossos conhecimentos e técnicas, visando continuamente a capacitação profissional e o desenvolvimento de uma nova cultura organizacional. Compreendo a complexidade que novos métodos e práticas podem implicar no ambiente empresarial. Sair da zona de conforto e da normalidade como conceito inquebrável é sempre um desafio, mas somente através da adoção de ideias inovadoras é possível transcender o comum e conquistar coisas extraordinárias.

Com isso, com toda certeza, conseguiremos estimular, de fato, uma gestão inovadora e colaborativa dentro das nossas empresas.

Fonte: https://hbrbr.uol.com.br/fatores-fundamentais-para-o-sucesso-de-uma-gestao-empresarial-moderna/

Últimos posts
Arquivo

Assine nossa newsletter

Rua Ramiro Barcelos, 1793/302  CEP 90035-006

Porto Alegre (RS) - Brasil

  • Facebook - White Circle
  • LinkedIn - White Circle
  • Instagram - White Circle